O valor da ética na construção da reputação corporativa

Por Vanessa Scheer*

A ética tem mostrado ser o caminho para a lucratividade, o sucesso e o bem comum, agregando valor material e moral ao patrimônio das organizações. Em tempos de mercado difícil, por vezes cresce a tentação de se atingir e superar metas de vendas atropelando os valores que as empresas consolidam ao longo de sua história. Agir de maneira coerente com os valores tornou-se um dos principais desafios corporativos.

A busca pelo resultado a qualquer custo deve ser substituída por esforços para seguir objetivos alinhados e complementares. Os resultados humanos ganham status de metas financeiras: a forma como se alcança o objetivo é tão importante quanto realmente cumpri-lo. Não importa apenas “conquistar”, mas como se agiu para chegar lá. Como os executivos conduziram suas ações, obstáculos superados, idéias que trouxeram e como se relacionam com a equipe. Enfim, a questão é: para alcançar as metas, os valores da organização foram preservados?

A globalização amplia os padrões de exigência em todas as áreas da empresa, aumenta a competitividade e as pressões financeiras. Mas a preservação dos valores da companhia e dos compromissos morais com clientes, colaboradores e com a sociedade, privilegiando a diversidade e o pluralismo de maneira democrática, é vital para a sustentabilidade do próprio negócio.

Os valores representam os limites que não devem ser ultrapassados no processo de alcançar as metas dos negócios. Para assegurar que as metas sejam cumpridas e os valores perpetuados, é preciso avaliar permanentemente os colaboradores da empresa, seguindo critérios objetivos e transparentes. Com estas avaliações é possível acompanhar o desempenho de cada um e da empresa como um todo e fazer os ajustes necessários.

São tarefas que requerem tempo, dedicação, responsabilidade e, principalmente, muita transparência de quem está no comando. A definição clara dos valores, a comunicação constante e o uso de ferramentas objetivas para a mensuração de resultados, de competências adquiridas e de respeito aos valores são pré-requisitos para qualquer companhia que queira consolidar sua posição no mercado e construir uma boa reputação corporativa.

Não existem fórmulas mágicas, apenas princípios que podem ser seguidos, definindo valores corporativos claros e relevantes. Recompensar os bons exemplos de aplicação de valores corporativos e remover os que não os respeitam, ainda que alcancem os resultados. Uma postura ética constrói a reputação de uma empresa, o inverso a destrói. Portanto, aquela imagem que a companhia levou anos para construir e a credibilidade que conquistou junto aos seus públicos, poderão cair por terra e reconstruí-los será muito mais complexo. O exemplo deve ser dado pelo líder.

Note que não se trata de uma visão idealista, mas uma questão de sobrevivência. Os valores devem ser realmente vividos no dia a dia: o binômio comprometimento/excelência, uma busca individual de cada colaborador, o trabalho em equipe, e o foco no cliente formam a direção correta que garante os bons resultados. Tudo isso baseado na integridade, no respeito mútuo e no comportamento ético que fundamentam o relacionamento com os colegas, os clientes e a comunidade.

* Vanessa Scheer, psicóloga; pós-graduada em administração de recursos humanos; MBA em excelência gerencial pela FAAP; Personal e Professional Coach pela sociedade Brasileira de Coaching, diretora executiva do Grupo Smax. www.centralpratica.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *