A transformação que vem da base

Por Eugenio do Val

Para um país com graves problemas investir na educação de base é a solução mais eficiente, mas ao contrário do que se pensa, não estamos falando só do primeiro ano de um brasileiro/ra na escola; as deficiências são tantas que é preciso trabalhar em todas as etapas da formação de uma pessoa.

Por conta disso é que temos uma onda imensa de empreendimentos no mercado da educação para construir uma nova proposta educacional, mais alinhada com as demandas (presentes e futuras) do mercado e, principalmente, da sociedade, como pudemos conferir no Ed Tech Class, evento promovido  no início de abril em São Paulo – SP pela StartSe, o maior ecossistema de startups do Brasil.

São iniciativas que envolvem principalmente o uso da tecnologia e da internet, essenciais para aproximar o tema de mais pessoas e com mais liberdade de acesso, porém, entendemos que ainda falta o básico, falta fazer as pessoas entenderem onde estão inseridas; falta mais “visão drone” como diz o nosso sócio e facilitador da Escola Pro-Fissa, Renato Roscoe.

Falta também mais mão na massa, que em certo termo é estimulada pela tecnologia, mas que também precisa ser trabalhada no ambiente físico, afinal as pessoas trabalham com pessoas e mão na massa sozinho não produz resultado algum, é preciso um time para que se produza minimamente bem.

Estes dois pontos formam alguns dos pilares do Pro-Fissa e são em cima deles que conduzimos nossos trabalhos, mesmo quando o assunto é palestra, como as que  foram ministradas na 53ª Expoagro de Dourados na última terça-feira durante o VI Seminário da cadeia Produtiva da Cana de Açúcar de Mato Grosso do Sul da BioSul, que focou sua programação no tema  “O Profissional do futuro para o setor sucroenergético”, e durante o 1º Encontro Jovens da Agropecuária promovidos pelo SENAR/MS, FAMASUL e MNP Jovem.

Na oportunidade nossos sócios e facilitadores, Régis Borges e Renato Roscoe, falaram para cerca de 600 profissionais divididos, respectivamente, entre o VI Seminário e o 1º Encontro Jovens da Agropecuária, a maioria estudantes universitários e recém formados. Na pauta das duas palestras, tivemos primeiro Borges fazendo uma abordagem sobre as exigências do mercado de trabalho e sociedade para com os profissionais de hoje e amanhã, traduzidas no modelo “profissional de valor” e, depois, fechando o dia, Roscoe falou sobre o protagonismo dos jovens no agronegócio e os caminhos para que eles alcancem este patamar, tendo como pano de fundo uma ampla explanação sobre em que cenário se dará esta jornada.

Sabemos que foram temas densos, provocadores e muito diferentes do que os jovens encontram na maioria dos eventos, mas são estas abordagens transparentes, sem pirotecnia, que mostram a realidade dos fatos que efetivamente produzem um senso de mudança, já a mudança de fato se produz com muita aprendizagem, muito estudo e pouco medo de errar.

Caso você esteja precisando mudar, venha falar com a gente, temos soluções in company e cursos abertos como o Pro-Fissa Lab com turma iniciando agora em junho.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *